Produção de minério de ferro da Vale cai 1,6% em 2022 e fica abaixo da meta

Por Marta Nogueira e Peter Frontini

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A Vale produziu 307,79 milhões de toneladas de minério de ferro em 2022, queda de 1,6% ante o ano anterior, com recuo ainda maior nas vendas, diante de atrasos em licenciamentos em Serra Norte e performance operacional na importante mina S11D, no Pará, informou a gigante mineradora nesta terça-feira.

O volume ficou abaixo da meta recentemente revista pela companhia para o ano, de 310 milhões de toneladas, mostraram dados do boletim trimestral de produção e vendas da companhia.

A queda foi parcialmente compensada, no entanto, por um avanço contínuo da produção em Vargem Grande e maior produção via processamento a seco em Brucutu, ambos os ativos em Minas Gerais, além de maior compra de terceiros, pontuou a Vale.

As vendas da commodity somaram 260,66 milhões de toneladas no ano passado, uma queda de 3,8% na comparação com 2021.

A produção de pelotas, por sua vez, totalizou 32 milhões de toneladas em 2022, um aumento de 1,3% na comparação com o ano anterior, com um melhor mix de pelotas de redução direta (49% do total da produção vs. 41% em 2021), “alavancado pelo feed de maior qualidade e aproveitando maiores prêmios de mercado”.

O volume de pelotas produzido, porém, também ficou levemente abaixo da meta para o ano, que indicava 33 milhões de toneladas.

A Vale tem reforçado sua estratégia para focar mais em valor do que em quantidade, buscando avançar na produção de produtos com maior valor agregado.

Já a produção de minério de ferro no quarto trimestre de 2022 foi de 80,85 milhões de toneladas, queda de 1% ante o mesmo período do ano anterior e recuo de 9,9% em relação ao terceiro trimestre.

As vendas do minério no último trimestre do ano do ano passado somaram 81,20 milhões de toneladas, uma queda de 0,7% na comparação com um ano antes, mas alta de 24,2% na comparação com o terceiro trimestre, com impulso da conversão dos estoques formados no trimestre anterior em vendas.

METAIS BÁSICOS

Já do lado dos metais básicos, a Vale somou produção de níquel de 179 mil toneladas em 2022, alta de 6,4% na comparação com o ano anterior, explicada principalmente pela estabilização das operações após paralisação do trabalho de Sudbury, no Canadá, em 2021, assim como o consistente e forte desempenho em Onça Puma, no Pará, disse a Vale.

A previsão da Vale era produzir 180 mil toneladas de níquel no ano passado.

As vendas do metal somaram 180,8 mil toneladas em 2022, queda de 0,5% ante o ano anterior.

No quarto trimestre, a produção de níquel somou 47,4 mil toneladas, queda de 1,3% ante um ano antes e recuo de 8,5% na comparação com o trimestre anterior. Já as vendas somaram 58,2 mil toneladas, avanço de 30,2% na comparação com um ano antes e alta de 31,4% na comparação com o trimestre anterior, também devido a conversão de estoques.

O metal também é uma matéria-prima chave para a indústria de veículos elétricos em expansão, onde é usado para a fabricação de baterias. A Vale fechou contratos para fornecer níquel para grandes montadoras, incluindo Tesla e General Motors.

A produção de cobre da empresa caiu 14,7%, totalizando 253 mil toneladas em 2022, devido a manutenção prolongada no moinho de Sossego durante o primeiro semestre do ano, e manutenção adicional necessária tanto em Sossego quanto em Salobo.

A previsão da Vale era produzir 260 mil toneladas de cobre no ano passado.

“Esses eventos foram parcialmente compensados por uma maior produção no Canadá devido a estabilização das minas de Sudbury e a recuperação de cobre de estruturas que contêm precipitados de cobre em Thompson, reduzindo desperdício como parte da nossa abordagem alinhada à mineração circular”, disse a Vale.

As vendas de cobre somaram 243,9 mil toneladas em 2022, queda de 14,3%.

Vendas de combustíveis por distribuidoras crescem 2,5% em 2022; diesel bate recorde, diz ANP

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) – As vendas de combustíveis por distribuidoras no Brasil cresceram 2,5% em 2022 ante o ano anterior, para aproximadamente 143 bilhões de litros, com impulso da comercialização de óleo diesel diante do aquecimento da economia e de uma safra recorde de grãos, apontaram especialistas.

O volume foi o maior desde 2014, quando as distribuidoras registraram um recorde de vendas de 144,58 bilhões de litros de combustíveis, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O diesel –combustível mais comercializado do país– bateu recorde de vendas pelas distribuidoras, de 63,23 bilhões de litros no ano passado, alta de 1,8% ante 2021, mostrou a ANP.

O diesel é um importante combustível para o transporte da safra de grãos brasileira, que foi estimada em um recorde no ano passado, pontuou o ex-diretor da ANP Aurélio Amaral.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o país colheu históricos 271,2 milhões de toneladas na temporada de 2021/22.

Dentre os motivos para as vendas recorde de diesel, o especialista apontou também o reaquecimento da economia brasileira, após os efeitos da pandemia de Covid-19. “Mas, essencialmente, o crescimento da safra que representa o crescimento do diesel no país”, frisou Amaral.

O sócio-diretor da Raion Consultoria, Eduardo Oliveira de Melo, destacou que o volume de diesel vendido em 2022 superou em 10% a média dos últimos cinco anos. “Esse número traz a perspectiva de uma atividade econômica mais forte e isso trouxe o consumo do diesel em si”, afirmou.

As vendas de gasolina, por sua vez, registraram alta de 9,5%, para 43 bilhões de litros, maior volume desde 2017, quando foram comercializados 44,15 bilhões de litros.

“A gasolina acabou tendo um componente a mais para esse consumo que foi a desoneração dos tributos (federais) que foi muito mais impactante para gasolina do que para o óleo diesel”, disse Melo à Reuters.

A isenção dos tributos acabou trazendo uma vantagem competitiva para a gasolina frente ao etanol hidratado, seu concorrente direto nas bombas, já que as taxas que incidiam sobre o biocombustível eram inferiores.

Nesse cenário, as vendas do etanol hidratado caíram 7,5% no comparativo anual, para 15,53 bilhões de litros, mostrou a ANP.

O governo de Jair Bolsonaro zerou Pis/Cofins para diesel e gasolina em meados do ano passado, assim como para outros combustíveis, em busca de atenuar efeitos da inflação. A desoneração foi ampliada pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva até o fim de fevereiro, para gasolina, e até o fim do ano para o diesel.

Promotor de Memphis vê a possibilidade de mais acusações no caso Nichols

Por Alyssa Pointer

MEMPHIS (Reuters) – Os promotores da cidade norte-americana de Memphis podem apresentar mais acusações criminais contra policiais e outras pessoas envolvidas nos eventos que antecederam e se seguiram ao espancamento e morte de Tyre Nichols, disse o promotor distrital do condado em um comunicado no Twitter nesta terça-feira.

O tuíte veio em resposta às crescentes críticas sobre como o Departamento de Polícia de Memphis e o escritório do promotor distrital do condado de Shelby, Steve Mulroy, lidaram com o caso.

Na segunda-feira, o departamento revelou que um sexto oficial, Preston Hemphill, foi suspenso da força em 10 de janeiro, logo após a morte de Nichols, um homem negro de 29 anos que morreu em um hospital três dias depois de ser parado em uma blitz de trânsito e espancado. No entanto, nenhuma acusação foi feita contra Hemphill, um policial branco que não estava presente no local do espancamento fatal.

Na semana passada, cinco outros policiais –todos negros–foram acusados de assassinato em segundo grau e demitidos da força policial. 

Depois que o vídeo do incidente com a polícia foi divulgado na sexta-feira, os apelos aumentaram para que policiais e promotores locais fossem mais transparentes sobre as circunstâncias do caso, uma vez que os relatórios iniciais da polícia não correspondem ao que foi visto no vídeos.

O advogado da família, Ben Crump, disse na terça-feira que a polícia não foi transparente com a mãe de Nichols sobre o incidente, que ele chamou de “linchamento policial”.

“Ela pensou que era uma conspiração para encobrir desde o início”, disse Crump à CNN.

No comunicado, Mulroy disse que outros policiais, bombeiros e outros que prepararam a documentação do incidente também podem enfrentar acusações criminais à medida que mais informações estiverem disponíveis.

“Estamos analisando todos os indivíduos envolvidos nos eventos que antecederam, durante e após o espancamento de Tyre Nichols”, disse o escritório, acrescentando que a investigação está incompleta.

(Reportagem de Brendan O’Brien, em Chicago)

Preços do petróleo se estabilizam com maior demanda nos EUA e dólar mais fraco

Por Shariq Khan

BANGALORE (Reuters) – Os preços do petróleo se estabilizaram nesta terça-feira, depois de se recuperarem de uma mínima de quase três semanas, recebendo apoio de um dólar enfraquecido e de dados que mostraram que a demanda por petróleo e derivados nos EUA aumentou em novembro.

O contrato Brent mais ativo de segundo mês fechou a 85,46 dólares o barril, alta de 0,96 dólar ou 1%, enquanto os contratos futuros de petróleo nos EUA (WTI) fecharam a 78,87 dólares o barril, alta de 0,97 dólar ou 1,3%.

Mais volatilidade no dia do vencimento manteve o contrato do primeiro mês sob pressão, já que os traders fecharam posições, disse o analista da Mizuho, Robert Yawger. O contrato do primeiro mês fechou em 84,49 dólares o barril, uma queda de 0,41 dólar.

Durante a sessão, os contratos futuros de primeiro mês do Brent e os futuros do WTI atingiram seus níveis mais baixos em quase três semanas, com os traders preocupados com as perspectivas de novos aumentos nas taxas de juros e fluxos abundantes de petróleo russo.

Os contratos futuros de abril de Brent e WTI do primeiro mês subiram depois que a Administração de Informação de Energia dos EUA informou que a demanda por petróleo e produtos petrolíferos do país aumentou em 178.000 barris por dia (bpd) em novembro, para 20,59 milhões de bpd, o maior volume desde agosto. [EIA/PSM]

Os benchmarks do petróleo também foram apoiados por um dólar americano mais fraco, disse o analista do UBS, Giovanni Staunovo. Isso torna o petróleo denominado em dólares mais barato para os compradores estrangeiros.

(Por Shariq Khan; reportagem adicional de Rowena Edwards, Swati Verma, Trixie Yap)

Snap reverte resultado para prejuízo e espera receita menor no 1º tri

Por Sheila Dang

DALLAS, Estados Unidos (Reuters) – A Snap divulgou nesta terça-feira prejuízo líquido para o quarto trimestre e disse que a receita pode cairno trimestre atual em até 10%, uma vez que enfrenta forteconcorrência de rivais como TikTok e fraca demanda de publicidade.

A criadora do app Snapchat é a primeira das grandes plataformas de publicidade digital a divulgar resultado trimestral e o balanço normalmente indica sinais sobre o desempenho de rivais como Meta e Google, que publicam seus números nesta semana.

Em mensagem aos investidores, a Snap disse que uma economia enfraquecida, aumento da concorrência de outras plataformas de mídia social e “mudanças de política de plataforma” continuaram a prejudicar seus negócios.

A Apple implementou ferramentas de proteção de privacidade nos iPhones em 2021 que limitaram a capacidade dos anunciantes de coletarem dados para publicidade direcionada.

“Esperamos que os ventos contrários que enfrentamos no ano passado persistam ao longo do primeiro trimestre”, disse a empresa.

O prejuízo líquido da Snap foi de 288 milhões de dólares durante o trimestre ante lucro líquido de 23 milhões no ano anterior. A receita do quarto trimestre foi de 1,3 bilhão de dólares, estável em relação a um ano antes e em linha com expectativas de analistas.

A Snap vai promover um evento para investidores em 16 de fevereiro para detalhar seu plano de negócios depois de anunciar em agosto demissões de 20% de sua equipe e fim de projetos experimentais que incluíam um drone para fotos.

Os usuários ativos diários no Snapchat aumentaram 17% em relação ao ano anterior, para 375 milhões, ante expectativas de analistas de 374 milhões, segundo dados da Refinitiv.

Na mensagem aos investidores, a empresa disse que sua previsão para o primeiro trimestre assume uma queda de receita de 2% a 10% sobre um ano antes. Segundo a companhia, o faturamento do período até agora mostra queda de 7%.

A Snap prevê que os usuários ativos diários no primeiro trimestre ficarão entre 382 milhões e 384 milhões.

Província canadense tenta descriminalizar drogas para combater crise de overdoses

Por Jennifer Gauthier

VANCOUVER (Reuters) – A província canadense da Colúmbia Britânica iniciou nesta terça-feira um programa piloto de três anos para parar de processar pessoas por porte de pequenas quantidades de heroína, metanfetamina, ecstasy ou crack, como parte de um esforço para combater uma crise de overdoses de drogas.

A província é responsável por cerca de um terço das 32.000 mortes por overdose e pelo tráfico nacional desde 2016, segundo dados oficiais e declarou a overdose de drogas uma emergência de saúde pública naquele ano.

O problema se agravou com a pandemia de Covid-19, que interrompeu as cadeias de abastecimento de drogas ilícitas e também os serviços de apoio, deixando as pessoas com mais drogas tóxicas do que usariam sozinhas.

Dados preliminares divulgados nesta terça-feira pela província mostraram que houve 2.272 mortes por suspeita de intoxicação por drogas ilícitas em 2022, o segundo maior número anual já registrado, atrás de 2021, que teve mais 34 mortes.

O governo do primeiro-ministro Justin Trudeau disse em maio que deixaria a Colúmbia Britânica descriminalizar as drogas em uma isenção inédita no Canadá. Ao não processar pessoas que transportam pequenas quantidades de drogas, o governo da província espera resolver o problema como um problema de saúde, e não por meio do sistema de justiça criminal.

A província diz que a isenção visa reduzir o estigma associado ao uso de substâncias e facilitar a abordagem das pessoas às autoridades para obter orientação.

(Reportagem de Ismail Shakil em Ottawa e Anna Mehler Paperny em Toronto)

Wall St sobe mais de 1% após dados de inflação dos EUA encorajadores e expectativa com Fed

Por Lewis Krauskopf e Johann M Cherian e Shreyashi Sanyal

NOVA YORK (Reuters) – Os principais índices de ações dos Estados Unidos fecharam em alta superior a 1% nesta terça-feira, depois que dados dos custos trabalhistas dos EUA deram sinais animadores a investidores sobre a abordagem agressiva do Federal Reserve para conter a inflação um dia antes da crítica decisão de política monetária do banco central norte-americano. O índice S&P 500 registrou seu primeiro aumento em janeiro desde 2019, com alta de 6,2%, enquanto o índice de tecnologia Nasdaq saltou 10,7% no mês –seu maior avanço percentual em janeiro desde 2001.

Os custos trabalhistas aumentaram em seu ritmo mais lento em um ano no quarto trimestre, à medida que o crescimento dos salários desacelerou, mostraram dados do Departamento do Trabalho dos EUA. O banco central norte-americano deve elevar na quarta-feira a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual, após um 2022 em que o Fed aumentou agressivamente os custos dos empréstimos para controlar a inflação crescente. O Dow Jones subiu 1,09%, para 34.086,04 pontos. O S&P 500 ganhou 1,46%, para 4.076,6 pontos. O ​​Nasdaq avançou 1,67%, para 11.584,55 pontos. Todos os 11 setores do S&P 500 terminaram em território positivo, com os de materiais e de bens de consumo discricionários, ambos com alta de mais de 2%, na liderança dos ganhos.Uma semana movimentada para os mercados também incluirá balanços corporativos da Apple, Amazon.com e Alphabet, reuniões de bancos centrais na Europa e o relatório mensal de empregos nos EUA nos próximos dias.

Ibovespa fecha em alta e confirma mês positivo com aval de estrangeiros

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa fechou em alta 1% nesta terça-feira, acima dos 113 mil pontos, confirmando desempenho positivo no primeiro mês do ano, que foi apoiado principalmente pelo fluxo de capital externo para as ações brasileiras.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,03%, a 113.430,54 pontos, acumulando um ganho de 3,6% em janeiro, após duas perdas mensais seguidas.

O volume financeiro no pregão somou 25,2 bilhões de reais, contra média diária de cerca de 24,7 bilhões em 2023, em sessão também marcada por expectativa para decisões de política monetária no Brasil e Estados Unidos na quarta-feira.

Wall Street fechou no azul, endossando o viés comprador na B3, depois que dados dos custos trabalhistas dos EUA deram sinais animadores a investidores sobre a abordagem do Federal Reserve para conter a inflação.

De acordo com o analista Lucas Lima, da VG Research, os primeiros pregões do ano foram bastante negativos para bolsa no Brasil, refletindo principalmente discursos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na posse, quando criticou o teto de gastos.

No pior momento do mês, no dia 3, o Ibovespa chegou a 103.852,27 pontos. Considerando essa mínima intradia, a alta acumulada no mês supera 9%. Na máxima intradia de janeiro, o índice chegou a 114.835,35 pontos, no dia 26.

A mudança no sentimento, observou o analista, ocorreu com discursos políticos mais alinhados com o mercado, mas principalmente por causa do forte fluxo estrangeiro para as ações brasileiras.

“Na ótica do investidor estrangeiro, que olha o bloco de países emergentes, a bolsa brasileira está bastante descontada em relação aos seus pares, mesmo com nossos desafios internos no âmbito fiscal”, acrescentou Alves.

De acordo com os dados da B3, as compras por estrangeiros no mercado secundário de ações brasileiro superavam as vendas em 10,9 bilhões de reais neste ano até o dia 27.

“O elevado fluxo de investidores estrangeiros para o Brasil impressiona”, afirmou a equipe da Guide Investimentos.

Em relatório a clientes, eles atribuem o movimento ao valuation baixo das ações no Brasil além do maior crescimento econômico – menor risco de recessão – e chances de redução de juros ainda em 2023.

Também destacaram que, no Brasil, o lucro das empresas tem resistido bem à desaceleração econômica. E, acrescentam, com a recente valorização do preço das commodities, é provável que as projeções de lucro continuem em alta nos próximos meses.

Um risco para a materialização deste cenário positivo, na visão da equipe da Guide é a perda com operações de crédito com a Americanas, que pediu recuperação judicial em meio a dívidas de mais de 40 bilhões de reais.

DESTAQUES

– COGNA ON disparou 10,19%, a 2,38 reais, acompanhada de perto pela rival YDUQS ON, que fechou em alta de 7,16%. Analistas do Bradesco BBI elevaram nesta semana a recomendação dos papéis da Cogna para “neutra”, citando expectativa de aceleração do crescimento do Ebitda em 2023, além da queda forte dos papéis nos últimos três meses. No caso de Yduqs, que teve a recomendação “outperform” mantida, eles veem um cenário mais desafiador para o resultado neste ano em razão de receitas fracas, mas avaliam que já está no preço das ações.

– NATURA&CO ON valorizou-se 6,59%, a 14,55 reais, após afirmar que permanece avaliando a eventual venda de fatia na marca Aesop como uma das alternativas para financiar o “crescimento acelerado” da unidade e agregar mais valor à companhia e aos acionistas. O esclarecimento ocorreu após reportagens publicadas na véspera de que LVMH e L’Oréal, entre outras empresas, estariam interessadas na Aesop, bem como estimando a avaliação da Aesop.

– DEXCO ON avançou 6,95%, a 7,54 reais, endossado por relatório de analistas do Bank of America, que retomaram a cobertura da companhia com recomendação de “compra” para as ações e preço-alvo de 10 reais. Eles citam entre as razões um “valuation atrativo”, expectativas relacionadas à joint venture da Dexco com a Lenzing – LD Celulose – para produção de celulose solúvel e exposição ao mercado de construção brasileiro.

– ASSAÍ ON recuou 5,44%, a 19,65 reais, descolado de outros papéis do setor de supermercados, uma vez que GPA ON valorizou-se 3,6% e CARREFOUR ON mostrou acréscimo de 1,29%.

– ITAÚ UNIBANCO PN subiu 1,56%, a 25,33 reais, e BRADESCO PN avançou 1,67%, a 14,02 reais, oferecendo um suporte relevante, enquanto SANTANDER BRASIL UNIT, que divulga balanço do quarto trimestre na quinta-feira, fechou com elevação de 1,69%, a 28,95 reais. BANCO DO BRASIL ON registrou decréscimo de 0,27%, a 40,7 reais.

– VALE ON cedeu 0,49%, a 94,51 reais, antes da divulgação de dados de produção e vendas pela mineradora, previstos para após o fechamento do mercado brasileiro. Após o fechamento, a Vale reportou produção de 80,85 milhões de toneladas de minério de ferro no quarto trimestre de 2022. Na China, os contratos futuros de minério de ferro caíram nesta terça-feira, com o preço de referência na bolsa de Dalian recuando da máxima do contrato da sessão anterior, à medida que traders avaliam a demanda chinesa e monitoram riscos regulatórios.

– PETROBRAS PN subiu 1,24%, a 26,07 reais, mesmo com o comportamento divergente dos contratos de petróleo no exterior, enquanto investidores continuam conjecturando sobre a estratégia da petrolífera de controle estatal sob o comando de Jean Paul Prates.

Nubank encerra área de assessoria de investimentos e demite funcionários

SÃO PAULO (Reuters) – O Nubank anunciou nesta terça-feira que decidiu fechar o serviço de assessoria de investimentos, e a demissão dos funcionários da área.

“Depois de uma cuidadosa avaliação, a empresa decidiu encerrar o serviço de assessoria de investimentos”, afirmou o banco digital em comunicado, sem mencionar números.

Uma fonte familiarizada com o banco afirmou à Reuters que foram 40 demissões.

Segundo o Nubank, os clientes atendidos pelo serviço seguem com os recursos devidamente aplicados nos investimentos escolhidos.

(Por Aluísio Alves)

Ibovespa fecha em alta e confirma mês positivo com aval de estrangeiros

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa fechou em alta de mais de 1% nesta terça-feira, confirmando desempenho positivo no primeiro mês do ano, que foi apoiado principalmente pelo fluxo de capital externo para a bolsa paulista.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,26%, a 113.691,16 pontos, acumulando um ganho de 3,6% em janeiro, após duas perdas mensais seguidas, de acordo com dados preliminares.

O volume financeiro somava 21,3 bilhões de reais, contra média diária de cerca de 24,7 bilhões em 2023, em sessão também marcada por expectativa para decisões de política monetária no Brasil e Estados Unidos na quarta-feira.

(Por Paula Arend Laier)