Premiê britânico diz a Zelenskiy estar mais comprometido que nunca a reforçar Ucrânia

LONDRES (Reuters) – O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse ao presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, neste sábado que está mais comprometido do que nunca a reforçar a Ucrânia, afirmou um porta-voz do gabinete de Johnson após uma conversa entre os dois líderes por telefone. 

“Ele confirmou que o Reino Unido irá continuar a providenciar auxílio militar para dar aos ucranianos o equipamento que precisam para se defender”, disse o porta-voz, acrescentando que Johnson também ofereceu apoio humanitário e econômico contínuos. 

(Reportagem de Kylie MacLellan)

Manifestantes na Geórgia protestam contra monumento ao passado escravagista do Sul dos EUA

Por Rich McKay

ATLANTA (Reuters) – Levando placas que diziam “traidores racistas”, cerca de centenas de ativistas pelos direitos civis marcharam e cantaram em Stone Mountain, no Estado norte-americano da Geórgia, neste sábado, para protestar contra a volta de uma comemoração anual da Confederação. 

O protesto aconteceu aos pés de um monumento erguido aos heróis do passado escravagista do Sul dos Estados Unidos, enquanto 200 apoiadores da seção estadual do grupo Filhos dos Veteranos Confederados (SCV) se reuniam para uma comemoração, que diz honrar os sacrifícios de seus antepassados. 

A Associação Memorial Stone Mountain, que dirige parte do parque que fica a 32 quilômetros de Atlanta, cancelou as reuniões em 2020 e 2021 por conta da pandemia de Covid-19, e por conta também do potencial para a violência no evento. 

O protesto e a celebração aconteceram de maneira pacífica, com os dois lados separados pelas cercas e interagindo apenas por gritos. Havia presença grande de seguranças no local, com dezenas de policiais estaduais e locais, incluindo equipes da SWAT com caminhões blindados e helicópteros da polícia sobrevoando. 

Warren Buffett critica excessos de Wall Street em reunião anual da Berkshire Hathaway

Por Jonathan Stempel e Carolina Mandl

OMAHA, EUA (Reuters) – O investidor bilionário Warren Buffett criticou os excessos de Wall Street neste sábado, e, depois de gastar dezenas de bilhões de dólares em ações e companhias em março, elogiou a virtude de manter o dinheiro disponível, ao apresentar o primeiro encontro presencial da Berkshire Hathaway desde 2019. 

Buffett, de 91 anos, que é presidente e diretor-executivo da Berkshire, e o vice-presidente Charlie Munger, de 98 anos, responderam perguntas em uma arena no centro da cidade de Omaha, no Nebraska. Os vice-presidentes Greg Abel, sucessor designado de Buffett como CEO, e Ajit Jain também se juntaram a eles. 

A reunião aconteceu após a Berkshire revelar que havia comprado mais de 51 bilhões de dólares em ações no primeiro trimestre, incluindo uma participação muito maior na Chevron Corp, e que agora parou de recomprar suas próprias ações. 

A Berkshire também disse que o lucro operacional foi pouco alterado no primeiro trimestre, já que muitas empresas conseguiram aumentar as receitas apesar das interrupções na cadeia produtiva causada pela variante Ômicron da Covid-19 e a invasão russa da Ucrânia. 

Buffett lamentou em sua carta anual aos acionistas em fevereiro a falta de oportunidades de investimento. Isso levou um acionista a perguntar o que mudou em março, quando a Berkshire comprou 14,6% da Occidental Petroleum Corp e concordou em pagar 11,6 bilhões de dólares pela seguradora Alleghany Corp. Buffett disse que era simples: ele se interessou pela Occidental depois de ler um relatório de analista, e pela Alleghany depois que seu presidente-executivo escreveu para ele. “Os mercados fazem coisas malucas e, ocasionalmente, a Berkshire tem a chance de fazer alguma coisa”, disse ele. “Não é porque somos inteligentes… acho que somos sãos.” A participação em caixa da Berkshire caiu para cerca de 106 bilhões de dólares ante quase 147 bilhões de dólares no trimestre, mas Buffett disse que é importante manter dinheiro suficiente disponível. “Sempre teremos muito dinheiro”, disse. “É como o oxigênio, está lá o tempo todo, mas se desaparecer por alguns minutos, está tudo acabado.”

Buffett também escolheu um alvo favorito, Wall Street, dizendo que o mercado de ações às vezes se assemelha a um cassino ou parceiro de jogo.

“Isso existiu em um grau extraordinário nos últimos dois anos, incentivado por Wall Street”, disse ele.

Parlamentar britânico renuncia após admitir que assistiu pornografia por duas vezes na Câmara

LONDRES (Reuters) – Um parlamentar britânico que havia sido suspenso do Partido Conservador, do atual primeiro-ministro Boris Johnson, anunciou neste sábado sua renúncia após admitir que por duas vezes assistiu pornografia em seu telefone celular na Câmara dos Comuns “em um momento de loucura”.

Os conservadores suspenderam Neil Parish na sexta-feira após ele se reportar ao comissário de regras do Parlamento.

Parish renunciou no sábado, apesar de ter dito anteriormente que continuaria como membro do Parlamento enquanto a investigação estivesse em andamento.

“No final, eu pude ver o furor e o prejuízo que estava causando à minha família e à minha associação eleitoral, não valia mais a pena continuar”, disse Parish em lágrimas em entrevista à BBC no sábado.

Parish, que é fazendeiro, disse que a primeira vez que viu material explícito ele o encontrou por acidente, ao procurar tratores em um website de nome semelhante, e que então assistiu “por um tempinho, o que não deveria ter feito”.

“Mas meu crime, meu maior crime, é que, em outra ocasião, eu entrei por uma segunda vez, e isso foi de propósito. Eu estava sentado, esperando para votar, ao lado da Câmara.”

Perguntado sobre o que passava por sua cabeça, ele descreveu como “um momento de loucura”.

No início da semana, a imprensa britânica relatou que uma ministra disse ter visto um colega homem olhando material pornográfico enquanto estava sentado ao seu lado na Câmara dos Comuns, e que o mesmo parlamentar depois assistiu pornografia durante uma audiência de comitê.

“Eu não tenho orgulho do que estava fazendo”, disse Parish, acrescentando que não tinha intenção de que aqueles a seu lado o vissem. “Eu não vou defender o que fiz. O que eu fiz foi absolutamente, totalmente errado… acho que eu saí completamente dos meus sentidos.”

(Reportagem de Kylie MacLellan)

Xangai atinge marca histórica de Covid-19 e Pequim fica em alerta

Por Brenda Goh e Min Zhang

XANGAI/PEQUIM (Reuters) – A cidade de Xangai anunciou neste sábado que não detectou novos casos diários de Covid-19 fora das áreas de quarentena, marcando um feito histórico na batalha para conter o vírus, que paralisou uma cidade de 25 milhões de pessoas e deixou a capital Pequim em alerta. 

As ruas de Pequim estavam estranhamente quietas no início do feriado de cinco dias do Dia do Trabalho, com moradores ansiosos com a possibilidade de imposição de novas restrições durante um período quando é típico viajar e socializar. 

“Você olha para uma cidade que costumava ser tumultuada, e hoje está vazia. Você pensa como essas pessoas conseguem sobreviver”, disse Li, de 35 anos, que trabalha no setor financeiro em Pequim, aos prantos. 

Na capital comercial de Xangai, no leste do país, cenas de casas e edifícios isolados com barreiras para impedir que moradores saíssem tomaram os noticiários, em um momento em que a maioria dos outros países do mundo estão aprendendo a viver com a Covid. 

A China mantém uma política de ‘Covid zero’ com o objetivo de erradicar a doença, o que provoca frustração, especialmente em Xangai, onde muitas pessoas estão confinadas há mais de um mês. Alguns, com dificuldades de encontrar alimentos e outras necessidades diárias, mostraram raras manifestações de oposição aos controles rígidos do governo. 

Se a campanha de tolerância zero funcionar, no entanto, será uma vitória para o presidente chinês, Xi Jinping, e sua abordagem, com a qual ele espera garantir um terceiro mandato presidencial, rompendo precedentes. 

(Reportagem de Brenda Goh em Xangai, Min Zhang e Xu Jing em Pequim)

Rússia diz que diálogo da estabilidade estratégica com EUA está “congelado”

(Reuters) – O diálogo entre Moscou e Washington sobre a estabilidade estratégica está formalmente “congelado”, afirmou a agência Tass citando uma autoridade do Ministério das Relações Exteriores da Rússia neste sábado. 

Vladimir Yermakov, diretor de não-proliferação nuclear do ministério, disse que os contatos poderiam ser retomados uma vez que a Rússia completar o que chama de “operação militar especial” na Ucrânia. 

Yermakov disse que Moscou acredita que os Estados Unidos têm a intenção de finalizar projetos para destacar mísseis de alcances curto e médio na Europa e na região da Ásia e do Pacífico. Ele não ofereceu evidências para apoiar sua afirmação. 

“O surgimento de tais armamentos nessas regiões irá deteriorar ainda mais a situação e vai abastecer a corrida armamentista”, afirmou Yermakov, segundo a agência. 

(Reportagem de Reuters)

Rússia diz que riscos de guerra nuclear devem ser mantidos no mínimo

(Reuters) – A Rússia acredita que os riscos de uma guerra nuclear devem ser reduzidos ao mínimo e que qualquer conflito armado entre potências nucleares deve ser evitado, afirmou a agência de notícias Tass, citando um funcionário do Ministério das Relações Exteriores russo neste sábado.

Vladimir Yermakov, chefe do Ministério das Relações Exteriores para a não-proliferação nuclear, disse que todas as potências nucleares devem se ater à lógica estabelecida nos documentos oficiais com o objetivo de evitar a guerra nuclear.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse na segunda-feira que o Ocidente não deveria subestimar os elevados riscos de conflito nuclear por causa da Ucrânia, embora os Estados Unidos tenham dito posteriormente que não acreditavam que houvesse uma ameaça da Rússia usar armas nucleares apesar de uma escalada na retórica de Moscou.

Yermakov no sábado foi citado como tendo dito que as principais potências nucleares devem aderir à lógica consagrada em documentos que criaram em conjunto.

Ele estava se referindo a uma declaração conjunta publicada em janeiro pela Rússia, China, Reino Unido, Estados Unidos e França, na qual os cinco países –que são os membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas– concordaram que a maior disseminação de armas nucleares e uma guerra nuclear deveria ser evitada.

“Os riscos da guerra nuclear, que nunca deve ser desencadeada, devem ser reduzidos ao mínimo, em particular através da prevenção de qualquer conflito armado entre as potências nucleares”, citou Yermakov no sábado. “A Rússia segue claramente este entendimento.”

(Reportagem de Hugh Lawson)

Atividade fabril na China se contrai em meio a lockdown em Xangai, mostra PMI

PEQUIM (Reuters) – A atividade fabril da China contraiu-se a um ritmo mais acentuado em abril, com os amplos lockdowns impostos para conter a Covid-19 reduzindo a produção e afetando as cadeias de abastecimento, mostrou uma pesquisa oficial neste sábado.

O índice oficial PMI da manufatura caiu de 49,5 em março para 47,4 em abril, em um segundo mês consecutivo de contração, disse o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS). A marca de 50 pontos separa a contração do crescimento em uma base mensal.

Uma pesquisa da Reuters esperava que o PMI diminuísse para 48.

Dezenas de grandes cidades da China estão em bloqueio total ou parcial, incluindo o centro comercial de Xangai, estimulando mais analistas a cortar as previsões de crescimento para a segunda maior economia do mundo.

(Reportagem de Stella Qiu, Min Zhang e Ryan Woo)

Ucrânia diz que Rússia ataca Donbas, mas falha em conseguir objetivos

Por Natalia Zinets

KIEV (Reuters) – As forças russas bombardearam a região de Donbas, no leste da Ucrânia, neste sábado, mas não conseguiram capturar três áreas que eram seus objetivos, afirmou o Exército ucraniano, enquanto Moscou disse que as sanções impostas pelo Ocidente sobre a Rússia e os envios de armas para a Ucrânia impedem as negociações de paz. 

Os russos tentam capturar as áreas de Lyman, em Donetsk, e de Sievierodonetsk e Popasna, em Luhansk, afirmou o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em uma atualização diária. “Não estão conseguindo –a luta continua”, disse. 

O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse em declaração publicado mais cedo no sábado que a suspensão de sanções impostas pelo Ocidente sobre a Rússia é parte das negociações de paz, que segundo ele estão difíceis, mas continuam diariamente por videoconferência. 

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyi, insiste desde que a invasão russa começou no dia 24 de fevereiro que as sanções precisam ser fortalecidas, e não podem ser parte das negociações. Ele disse na sexta-feira que há um risco de que as negociações serão encerradas por conta do que chama de “manual russo de assassinar pessoas”. 

A Ucrânia acusa as tropas russas de atrocidades em áreas próximas da capital, Kiev, que foram ocupadas anteriormente. Moscou rejeita as acusações. 

Lavrov disse que se os Estados Unidos e outros países da aliança militar ocidental Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão verdadeiramente interessados na resolução da crise ucraniana, deveriam parar de enviar armamentos a Kiev. 

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse a Zelenskiy durante uma reunião no sábado que seu país intensificaria o apoio militar e humanitário à Ucrânia. 

Em Washington, a proposta do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de um pacote de auxílio de 33 bilhões de dólares para a Ucrânia, incluindo 20 bilhões para armamentos, recebeu apoio dos dois partidos. A presidente da Câmara dos Deputados do país, Nancy Pelosi, disse na sexta-feira que espera que o Congresso aprove o pacote assim que possível. 

A Rússia classifica suas ações na Ucrânia como uma “operação especial” para desarmar a Ucrânia e protegê-la de fascistas. A Ucrânia e o Ocidente dizem que a acusação de fascismo não tem fundamentos e que a guerra é um ato não provocado de agressão. 

A guerra transformou cidades em escombros, matou milhares e forçou 5 milhões de ucranianos a deixarem o país. Após fracassar na conquista da capital Kiev, a Rússia está focando nas regiões leste e sul da Ucrânia. 

Moscou espera retomar o controle total da região oriental do Donbas, composta por Luhansk e Donetsk, partes do país que já eram controladas por separatistas apoiados pela Rússia antes da invasão. 

O governo russo afirmou no sábado que suas unidades de artilharia haviam atingido 389 alvos ucranianos durante a noite. 

(Reportagem adicional dos jornalistas da Reuters)

Importação de fertilizante pelo Brasil deve saltar quase 200% no 2º tri, diz MacroSector

SÃO PAULO (Reuters) – As compras externas de fertilizantes pelo Brasil devem alcançar 7,3 bilhões de dólares no segundo trimestre, uma disparada de 193% em relação ao mesmo período do ano passado, estimou nesta sexta-feira a consultoria MacroSector, em momento de escassez global do insumo devido à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Com os produtores em busca de garantir os adubos que serão utilizadas na próxima safra, cujo plantio de grãos se inicia em setembro, a expectativa da consultoria é que a importação do insumo à base de potássio tenha o maior avanço (247%), para 2,08 bilhões de dólares.

As aquisições de nitrogenados devem crescer 204% no comparativo anual, para 2,24 bilhões de dólares, enquanto os fosfatados têm um incremento estimado em 181%, para 424 milhões de dólares.

A MacroSector ainda vê alta de 155% nas importações de fertilizantes “mistos” das três matérias-primas (NPK), a 2,56 bilhões de dólares, no intervalo de abril a junho ante igual período de 2021.

Até no segmento de orgânicos a perspectiva é positiva, com avanço projetado em 69% para o segundo trimestre, a 10 milhões de dólares, conforme o levantamento.

A consultoria não forneceu mais detalhes sobre as projeções.

A escassez global de fertilizantes ocorre diante das sanções do Ocidente contra a Rússia e seu aliado Belarus, dois dos principais fornecedores globais de adubos, devido ao conflito com a Ucrânia.

No entanto, o Brasil, que importa cerca de 85% de seu consumo de fertilizantes, acelerou o fechamento de negócios nos últimos meses.

Dados do governo federal divulgados nesta semana indicam que, no acumulado mensal até 18 de abril, os importadores brasileiros adquiriram 2,08 milhões de toneladas de fertilizantes químicos, já superando o total de 1,88 milhão registrado em abril do ano passado.

No segmento de fertilizantes brutos, as compras externas do acumulado de abril também ultrapassaram em 20% o volume importado no quarto mês de 2021.

Levantamento preliminar de embarque da Agrinvest Commodities mostra que pedidos feitos à Rússia, de fato, estão sendo atendidos neste mês e que navios foram direcionados ao Brasil, potencialmente permitindo uma temporada normal de plantio de grãos.

(Por Nayara Figueiredo; Edição de Pedro Fonseca)