É possível fazer operações rápidas (scalp) olhando o gráfico?

Para fazer scalp, procure por momentum.

Na física a palavra “Momentum” é usada para relacionar a quantidade de movimento de um corpo. Essa grandeza é calculada através da multiplicação da velocidade pela massa do corpo. Em termos práticos pode ser entendida simplesmente como “impulso”, pois também representa a força pelo tempo.

Um exemplo simples da utilização dessa grandeza é o cálculo do peso que um corpo em movimento tem ao se chocar contra outro corpo que esteja parado. Por exemplo, uma maçã que tem o peso aproximado de 130 gramas, pode ter uma força de impacto de 10 kg se cair de um galho que esteja a 4 metros do chão.

Outro exemplo que poderia ser dado, é com relação a força que um jogador de futebol precisa chutar a bola para que ela alcance a velocidade de 108 km/h. Considerando que a bola tenha 400 gramas, seria preciso chutar a bola com uma força de 1200 Newtons.

Mas essa explicação toda foi apenas para ilustrar de onde vem o conceito de Momentum, visto que esse termo também é usado no mercado financeiro.

Como se trata de algo relacionado a impulso, esse termo foi trazido da física para o mercado financeiro, a fim de caracterizar ocasiões em que o preço de um ativo se desloca de forma muito rápida.

Sobre essa ótica, foram desenvolvidas estratégias que buscam capturar situações em que o mercado apresenta Momentum para assim serem realizadas operações. Como se espera que o ativo se mova de forma rápida, se tratam de operações que levam poucos minutos para serem realizadas. Por esse motivo, tais operações recebem o nome de “scalp”.

Neste artigo serão apresentados alguns cenários gráficos em que os ativos costumam oferecer oportunidade de realizar operações de scalp.

Estreitamento da Banda de Bollinger

Um dos contextos onde é mais fácil de serem visualizadas situações de momentum é quando as bandas de Bollinger se estreitam e repentinamente se abrem.

O indicador conhecido como bandas de Bollinger foi desenvolvido com base na estatística de modo que as bandas englobam aproximadamente 96% dos candles. Para isso, o indicador conta com uma média móvel de 20 períodos e duas bandas que ficam afastadas da média em dois sigmas. Cada sigma representa um desvio padrão baseado nos últimos 20 candles.

Como as Bandas de Bollinger estão diretamente ligadas à volatilidade do ativo, elas se abrem ou fecham de acordo com a oscilação dos preços. Se os preços fazem movimentos fortes, as bandas permanecem mais abertas. Por outro lado, quando os preços ficam próximos à média, as bandas se fecham.

É justamente nesta situação que o ativo pode apresentar uma situação de momentum.

Quando o preço fica em torno da média e as bandas fecham, pode ocorrer um forte movimento direcional na sequência.

O ativo apresentava uma grande volatilidade, o que pode ser visto pela largura das bandas ao lado esquerdo do gráfico. Conforme a volatilidade foi diminuindo, as bandas foram se fechando. Quando as bandas já estavam bem próximas, o ativo formou um candle de força e as bandas voltaram a abrir.

Esta é uma operação de momentum, pois o ativo saiu de uma consolidação e começou a se deslocar com velocidade. Este tipo de operação é muito interessante, pois em questão de minutos é possível fechá-la com um ótimo resultado.

Zonas de confluência

Uma zona de confluência é caracterizada pela presença de vários suportes ou resistências que tendem a segurar o preço.

Neste tipo de situação, é normal observar fortes movimentações de preço. Para entender melhor o motivo pelo qual isso acontece, é preciso voltar ao conceito de suporte e resistência.

Um dos principais motivos da formação de um suporte ou resistência é o efeito memória. Quando um ativo forma um topo, por exemplo, muitas pessoas realizaram lucros naquela região de preços. De forma similar, muitas pessoas também compraram o ativo na região do topo formado. Se o ativo fizer um movimento de baixa e algum tempo depois voltar a subir, ao se aproximar do topo, este se comportará como uma resistência.

Deste modo, quem já tinha realizado lucros, decide novamente vender para mais uma vez sair da operação com gain. Já quem comprou na região de topo, estava torcendo para o preço voltar e conseguir sair da operação sem prejuízo.

Como a pressão vendedora aumenta, o topo volta a se comportar como uma resistência, empurrando o preço para baixo novamente.

Se uma resistência já tem força para segurar o preço, e até mesmo empurrá-lo para baixo, quando várias resistências coincidem, existe uma grande probabilidade de gerar momentum.

A imagem mostra uma forte zona de confluência. Neste local havia uma linha de tendência de alta do gráfico semanal e também um suporte do gráfico diário. Esses suportes impediam a queda do preço, assim, sempre que os ursos batiam no preço, os touros defendiam. Isso formou também um poderoso suporte no gráfico de 5 minutos. Sempre que o preço tocava o suporte, os touros atacavam e o preço voltava a subir.

Gift

Outro cenário em que é possível observar momentum no preço é quando o mercado faz um rompimento importante e na sequência faz um pequeno “descanço”.

Geralmente quando um ativo rompe um suporte ou resistência importante, o preço continua a se mover na direção do rompimento. No entanto, é comum observar um candle de força fazendo um rompimento e na sequência um candle pequeno, praticamente sem sair do lugar. Este candle recebe o nome de “Gift”, justamente porque se trata de um presente que o mercado está deixando.

Conforme mostrado no gráfico, depois que um candle de força levou o preço abaixo do suporte, o ativo formou um candle pequeno, como se estivesse descansando. Quando finalmente o gift foi perdido, ou seja, foi perdida a mínima, ocorreu um forte movimento de queda.

O gift é um dos melhores padrões para se operar, pois sempre proporciona uma ótima relação risco x retorno e normalmente apresenta momentum.

Para finalizar

Certamente, todos gostam de entrar em uma operação e ver o preço seguir na direção do alvo. Ninguém gosta de comprar um ativo e ver o preço cair, mesmo que depois o ativo vá até o alvo.

Para tentar evitar passar “calor”, ou seja, entrar na operação e logo ver o lucro, busque por momentum. Sempre que um ativo tem momentum, ele fará um forte movimento direcional. O que oferece a possibilidade de realizar uma operação rápida e lucrativa.

Espero que esse artigo tenha contribuído para o seu conhecimento e que o ajude a encontrar as oportunidades com momentum.

Caso queira continuar estudando sobre análise técnica, acompanhe a FX Empire. A cada semana novos artigos como esse serão publicados.

Abaixo você pode conferir alguns dos artigos educacionais mais interessantes já disponíveis.

Entendendo o Price Action.

Retrações e projeções de Fibonacci.

Uso das médias móveis no Price Action.

Operando um dos setups mais lucrativos da análise técnica.