2021, um ano de mudança de estratégia.

Ainda em 2021, em meados de junho, o Ibovespa alcançava os 130 mil pontos, enquanto o dólar chegava à casa dos R$ 5,00. Ainda no final do mês de junho, o dólar beirou os R$ 4,90.

Momento onde as coisas pareciam se estabilizar e havia uma expectativa de melhora da economia. Mas a inflação começou a ficar mais forte, o PIB não cresceu de forma esperada e os juros começaram a subir.

Da renda variável para renda fixa

A mudança de estratégia ocorreu a partir do momento em que a inflação se tornou forte o suficiente para puxar a alta da Selic.

Com a alta da inflação e a alta do juro, ativos de menor risco, como as letras do Tesouro, CDB, LCI e LCA se tornaram muito mais atraentes.

Tanto os títulos pós fixados quanto os pré-fixados começaram a render mais. Conforme o a inflação medida pelo IPCA foi subindo, as expectativas com relação ao aperto monetário foram sendo corrigidas, havendo mais aumentos.

Desse modo, as expectativas sobre o juro futuro também foram corrigidas. Se antes era difícil ver uma letra do tesouro IPCA pagando 5% mais inflação, agora tal rentabilidade é fácil de ser vista, inclusive, houve um momento onde a taxa chegou a ultrapassar os 5,5% mais IPCA.

Já as letras prefixadas que só possuem a taxa prefixada como rendimentos chegaram a ultrapassar os 12% ao ano.

O Tesouro Selic, que possui rendimento atrelado a própria taxa de juro, estava pagando 2% ao ano, mas até o final de 2021, passou aos 9,25%, conforme alta da taxa Selic.

Tudo isso vem colaborando para atrair a atenção dos investidores que preferem menos riscos e ganhos mais estáveis.

A renda variável morreu?

Não, mas os ganhos com a renda variável serão mais difíceis. As expectativas são de tempos mais difíceis para a renda variável, principalmente considerando as eleições do ano que vem.

A cada pesquisa, o mercado pode reagir de forma diferente. Ao analisar as eleições que ocorreram nos últimos anos, ao menos nas duas últimas eleições presidenciais, os mercados ficaram muito voláteis e isso não trouxe bons rendimentos para aqueles que investem no longo prazo.

Mas, existe sim a possibilidade de aproveitar oportunidades pontuais. Em momentos de forte queda, investimentos, como os ETF e fundos passivos de índices, podem ser ótimas alternativas.