cryptos

Bitcoin se segurando para não cair, mesmo com pressão da china.

O Bitcoin iniciou um forte movimento de alta em novembro de 2020 e ficou por praticamente seis meses subindo de forma expressiva, fazendo com que a criptomoeda chegasse a se valorizar mais de 400%.

Entre março e meados de maio, o Bitcoin ficou trabalhando dentro de um canal, que foi perdido e levou o ativo até o alvo de 161,8% da projeção de Fibonacci da figura formada no topo.

Com a queda, a criptomoeda perdeu a média móvel de 200 períodos (linha branca). Por mais que em meados de julho tenha feito um forte movimento de alta, não conseguiu voltar a permanecer acima desta média, fazendo com que a mesma começasse a perder sua inclinação.

Dificuldade para subir, pode indicar que vai cair!

Traçando as retrações de Fibonacci de todo o movimento de baixa, é possível observar que quando o ativo conseguiu superar a média móvel de 200 períodos, chegou até a formar um pivô de alta acima da média, porém a força compradora levou o preço apenas até o primeiro alvo e no dia seguinte o ativo recuou, voltando a ficar sobre a média de 200.

Com o movimento dos preços realizados nesta semana, o Bitcoin está formando um pivô de baixa, abaixo da média de 200, o que se torna um padrão muito poderoso de venda, uma vez que o ativo tenha acabado de falhar em romper topo.

Caso este pivô realmente seja acionado, o alvo de 100% levaria o preço do ativo ao fundo formado em maio deste ano, que se trata de um importante suporte, visto que já foi testado por diversas vezes.

Com todo este cenário negativo para a criptomoeda e o governo chinês colocando pressão, será muito difícil o ativo se segurar acima, ou pelo menos próximo, da média móvel de 200 períodos.

Caso esta média, que indica a tendência de longo prazo, comece a inclinar para baixo, pode ser que aponte para um período mais vendedor à frente.