China regulamenta setor imobiliário e incentiva investimentos locais

A desaceleração da economia chinesa vem preocupando o Partido Comunista, que tem buscado implementar medidas direcionadas para aquecer o mercado interno e reativar o setor imobiliário.

Ontem (24/11), o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, disse que o país deve antecipar um volume razoável de obras de infraestrutura para impulsionar a demanda doméstica.

Outro objetivo a ser perseguido, segundo a principal autoridade econômica do país, é a contenção da especulação imobiliária e a estabilização dos preços das moradias.

Com a expectativa de recuperação da demanda, os contratos de minério de ferro ampliaram os ganhos nesta quarta-feira com o crescente otimismo em relação ao setor imobiliário na China, apesar de restrições impostas para reduzir a poluição na maior cidade siderúrgica do país ainda estarem em voga.

Já as bolsas asiáticas tiveram desempenho misto no dia de hoje. O Shangai Composite variou -0,24%, aos 3.584,18 pontos. O Hang Seng, índice de Hong Kong, subiu 0,22%, aos 24.740,16 pontos. Enquanto isso, o Nikkei 225, índice do Japão, variou +0,67%, aos 29.499,28 pontos.

Regulamentação do setor imobiliário

Em artigo publicado pelo principal jornal do Partido Comunista, o Diário do Povo, Liu He prometeu restringir o mercado habitacional sob o slogan “casas são para se viver, não para especulação”.

De acordo com o texto, as autoridades chinesas devem “se concentrar em estabilizar os preços da terra, os preços das casas e estabilizar as expectativas”. 

O intuito é “resolver os problemas de habitação das famílias e promover o desenvolvimento saudável de empresas imobiliárias”, completou o texto.

Ironicamente, as restrições de Pequim aos financiamentos ao setor imobiliário é justamente uma das principais causas para a desaceleração da economia. 

Com as vendas de imóveis, os preços das casas e as novas construções vêm caindo nos últimos meses.

As autoridades dizem que o excesso de oferta de moradias é uma ameaça à estabilidade econômica e querem que os investimentos sejam direcionados a setores prioritários, como manufatura de alta tecnologia, em vez de mais apartamentos.

Incentivo para investimentos 

Além da regulamentação do setor imobiliário, a China também planeja acelerar o ritmo de emissão de títulos especiais do governo para impulsionar o investimento.

Ainda em seu artigo no Diário do Povo, o vice-primeiro-ministro Liu He acrescentou que um volume razoável de obras de infraestrutura deveria ser antecipado com o objetivo de impulsionar a demanda doméstica.

Essas medidas estão sendo somadas às expectativas de afrouxamento monetário que começaram a ganhar força entre analistas nos últimos dias.

Isso porque o Banco Popular da China retirou algumas orientações de política no seu relatório trimestral, dando a impressão de um tom mais expansionista.

Esse conjunto de políticas deverá ser colocado em prática mesmo em um cenário de pressão inflacionária que vem acometendo praticamente todo o mundo.