IGPM dos últimos doze meses alcança 17,89%.

Por mais que o indicador esteja alto, ele vem caindo constantemente nos últimos meses, sendo que em novembro, o IGPM só subiu 0,02%.

Ou seja, há uma clara redução nos preços que compõem o índice. Vale destacar que boa parte dos preços que fazem parte do cálculo do IGPM são referentes a commodities, como é o caso do ferro.

IGPM em queda, bom sinal?

Um país com inflação moderada é sinônimo de país em crescimento. Se os preços sobem, normalmente significa que existem pessoas dispostas a pagar.

Por isso o aumento dos preços de forma moderada é bem vindo. Porém, o que vem ocorrendo com o IGPM foi desproporcional.

O índice inflacionário divulgado pela Fundação Getúlio Vargas chegou a subir mais de 4% em maio deste ano, porém, depois desse elevado aumento, a taxa foi registrando novos aumentos, mas não tão relevantes.

Só para comparação, em maio, nos últimos 12 meses, o IGPM estava registrando alta de 37,04%.

De maio  para agora, o IGPM vem caindo e isso é uma ótima notícia. Com os preços mais controlados, o consumidor poderá voltar a consumir e as empresas terão mais facilidade em comprar e negociar produtos e serviços.

Ainda mais quando o indicador é aquele utilizado para corrigir os valores dos aluguéis. Por ser um índice utilizado na área imobiliária, a redução da inflação na área pode beneficiar os negócios, mesmo com o juro maior.

Ibovespa e S&P 500 se recuperam

Depois da última sexta-feira, os mercados vêm se recuperando. O Ibovespa registrou alta de 0,58% enquanto o S&P 500 alcançou valorização de 1,32%.

O receio com relação à nova variante da COVID-19, Ômicron ainda existe e isso vem afetando os mercados.

Por mais que a bolsa tenha se recuperado, o USD/BRL terminou o dia em alta de 0,60%. Já o ouro (OZ1D) terminou o dia registrando valorização de 0,79%.

Como ainda há riscos no mercado, a renda fixa permanece sendo uma opção mais segura e rentável.

Em segundo lugar, o S&P 500 parece ser uma boa opção. Renda fixa no exterior também é uma boa opção, como as letras do Tesouro dos Estados Unidos, por exemplo.

Para trazer um pouco mais de proteção à carteira, boas alternativas são: dólar e ouro. O Bitcoin também se recuperou hoje registrando valorização de 1,17%.

Com o cenário político conturbado, o investimento na bolsa pode ser um pouco mais arriscado, principalmente para aqueles que procuram retornos no curto prazo.