Ouro sobe com força nesta manhã de sexta-feira!

O ouro já vem trabalhando em um canal de baixa desde meados de junho. O ativo já chegou a perder o canal, mas se recuperou nos dias seguintes e voltou para dentro da consolidação. Ao final de setembro, os vendedores levaram o preço para baixo novamente, mas, após perder a linha inferior do canal, os compradores voltaram a agir levando o preço para cima.

Hoje, com a forte alta ocorrida pela manhã, o ouro chegou a tocar na linha superior do canal. Contudo, logo após alcançar a resistência, por volta das 12 horas (horário de Brasília), o ativo começou a recuar e o preço voltou ao nível em que estava trabalhando no início do dia. Esta movimentação é possível de ser observada no gráfico horário, abaixo.

A barra das 12 horas, mostra que ocorreu um forte movimento de baixa. Na barra seguinte é observado que o ativo recuperou apenas cerca de metade da queda. Isso mostra que existe uma maior pressão vendedora, fazendo com que o ouro volte a cair na sequência.

Mas por quê essa alta repentina do ouro?

O ouro é considerado um dos ativos mais seguros do mundo. Deste modo, quando o cenário macroeconômico apresenta muitas incertezas, é normal ver o ouro se valorizar.

Outro ativo que é usado pelos investidores como uma “segurança”, são os bonds americanos. Observando o gráfico dos bonds de 10 anos, é notado que hoje o ativo vem caindo com força.

De forma similar ao ouro, porém em movimentos inversos, os bonds americanos realizaram um forte movimento de queda entre 9 horas da manhã e meio-dia. Uma hipótese que poderia ser dada, é que a correlação entre os mercados acarretou nestas movimentações para os ativos. Ou seja, uma vez que os bonds americanos caíram, o ouro subiu.

E pelo que parece, foram os bonds que iniciaram o movimento.

Observando o gráfico diário dos bonds de 10 anos, é notado que o ativo fez um forte movimento de alta ao longo desta semana. Com essa movimentação o ativo alcançou o terceiro alvo de um retângulo no qual vinha trabalhando. Entretanto, hoje o ativo vem caindo, respeitando a resistência imposta pelo terceiro alvo.

É interessante notar como os ativos se correlacionam, pois assim como o ouro subiu devido a queda dos bonds de 10 anos, o S&P 500 também fez um movimento de alta pela manhã. Este tipo de movimentação está alinhado, pois a correlação entre o tesouro americano e o mercado de ações é inversa. Assim, quando um cai, se espera que o outro suba.

É preciso ressaltar, porém, que as correlações existem e se mostram verdadeiras na maior parte do tempo. No entanto, às vezes os ativos seguem por caminhos específicos, sem qualquer relação com o restante do mercado.

De qualquer forma, é interessante acompanhar as correlações entre os ativos que estamos analisando, pois elas contribuem para uma maior confiança nos padrões observados.