PIB do Brasil caiu 0,1% no terceiro trimestre.

Considerando o período anterior (terceiro trimestre de 2020) o Brasil vem alcançando alta de 4%.

Porém, a segunda queda do PIB consecutiva vem mostrando que as coisas não andam tão bem, ou que existem riscos com relação ao PIB. Do jeito que está dificilmente o Brasil vai conseguir alcançar um PIB de 5% ainda em 2021.

Vale destacar que o IBGE também fez a revisão do PIB referente ao segundo trimestre de 2021, e constatou que houve uma queda de 0,4% e não de 0,1%.

Apesar da queda do PIB, o mercado reagiu.

Mesmo com a divulgação do resultado negativo do PIB, o Ibovespa alcançou alta de 3,66%, sendo que o dólar caiu 0,82% chegando aos R$ 5,65.

Com essa valorização, o Ibovespa consegue recuperar parte de suas perdas. Mas o principal índice brasileiro ainda está longe de alcançar os 120 mil pontos, por exemplo.

No momento, o Ibovespa vem amargando perdas de 12,11% em 2021. Ao contrário do Ibovespa, o S&P 500 acumula alta de 23,68%.

Observando isso, fica claro que o investidor precisa ter parte do patrimônio alocada em ativos com referência no exterior, como é o caso do IVVB11 (ETF que segue o S&P 500).

Existem outros ETF que seguem o índice norte-americano, e inclusive fundos de investimento. Com uma diversificação bem calibrada, o investidor consegue reduzir eventuais volatilidades do mercado interno.

Uma pessoa com uma carteira dividida entre o S&P 500 e outra parte em Ibovespa, estaria registrando ganhos, uma vez que as perdas do Ibovespa não seriam suficientes para reduzir todos os ganhos auferidos como o S&P 500.

É claro que as proporções e a estratégia empregada vai de investidor para investidor, mas é importante pensar bem sobre alocar recursos em diferentes mercados, principalmente nos de origem norte-americana.

Junto do dólar, o ouro também caiu.

O ouro (OZ1D) caiu 1,53%. Mesmo com uma leve valorização do ouro (XAU) nos Estados Unidos, o ouro no Brasil ainda performou abaixo. Isso provavelmente aconteceu devido à queda do dólar.

Como o ouro no Brasil é influenciado pela cotação do dólar, quando a moeda norte-americana cai, o ouro também pode acabar seguindo o mesmo rumo.

Se de um lado nós temos os produtos de renda variável bem voláteis, do outro há a renda fixa. A renda fixa ainda vem performando muito bem e com boas expectativas para 2022.

Caso a situação com relação à inflação se mantenha ruim, é provável que a Selic permaneça em níveis elevados. Isso vai gerar retornos melhores em diversos produtos de renda fixa, como os CDBs, LCI e LCA, além das letras do Tesouro Direto.