Bolsa de Valores de Paris, no distrito empresarial de La

Ações europeias caem com temores sobre Evergrande e dados fracos do sentimento empresarial alemão

Por Sruthi Shankar e Shreyashi Sanyal

As fabricantes europeias de roupas esportivas Adidas, Puma e JD Sports perderam cerca de 3% cada depois que a rival norte-americana Nike cortou suas expectativas de vendas para o ano fiscal de 2022 e previu atrasos durante a temporada de compras natalinas devido a problemas na cadeia de oferta.

Os papéis de varejo apresentaram os maiores declínios na Europa, com queda de 1,7%.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,89%, a 1.787 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,9%, a 463 pontos, mas um rali de três dias deixou o índice em de alta de 0,3% na semana.

As preocupações dos investidores com a Evergrande ressurgiram depois que o prazo para pagar 83,5 milhões de dólares em juros de títulos passou sem comentários da empresa, que ficava cada vez mais perto de possível default.

Enquanto isso, uma pesquisa do Instituto Ifo mostrou que o sentimento empresarial alemão caiu em setembro pelo terceiro mês consecutivo, afetado por problemas na cadeia de suprimentos que estão causando uma “recessão de gargalos” para os produtores na maior economia da Europa.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,38%, a 7.051,48 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,72%, a 15.531,75 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,95%, a 6.638,46 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,43%, a 25.968,84 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,04%, a 8.873,10 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,61%, a 5.424,16 pontos.