Foto de ilustração sobre a Covid-19

Bélgica detecta primeiro caso de nova variante da Covid-19 na Europa

Por Marine Strauss e Philip Blenkinsop

BRUXELAS (Reuters) – A Bélgica detectou o primeiro caso confirmado na Europa da nova variante da Covid-19 nesta sexta-feira e, ao mesmo tempo, anunciou medidas restritivas destinadas a conter uma quarta onda de infecções por coronavírus que se espalha rapidamente.

O ministro da Saúde da Bélgica, Frank Vandenbroucke, disse em uma coletiva de imprensa que um caso da variante B.1.1.529 foi encontrado em uma pessoa não vacinada que desenvolveu sintomas e testou positivo em 22 de novembro.

“É uma variante suspeita. Não sabemos se é uma variante muito perigosa”, disse ele.

A nova variante do coronavírus, detectada pela primeira vez na África do Sul, causou alarde global, com UE e Reino Unido entre aqueles que estão endurecendo o controle sobre as fronteiras, enquanto pesquisadores buscam descobrir se a mutação é resistente à vacina.

O laboratório nacional de referência da Bélgica disse que a pessoa infectada era uma jovem adulta que desenvolveu sintomas 11 dias após retornar de uma viagem ao Egito via Turquia. Ela tinha sintomas semelhantes aos da gripe, mas nenhum sinal de doença grave até o momento.

Nenhum dos membros de sua casa desenvolveu sintomas, mas estão sendo testados.

A nova variante surge em um momento em que Bélgica e muitos outros países europeus estão lutando contra um aumento nas infecções por coronavírus.

O primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, anunciou que as casas noturnas serão fechadas e bares e restaurantes deverão encerrar às 23h por três semanas a partir de sábado, e ter no máximo seis pessoas por mesa.

A pressão sobre o serviço de saúde está aumentando, disse De Croo em uma coletiva de imprensa, acrescentando: “Se não tivéssemos uma taxa de vacinação tão alta hoje, estaríamos em uma situação absolutamente drástica”.

Segundo as novas regras, festas e reuniões privadas também estão proibidas, a menos que sejam para casamentos ou funerais, e os belgas terão que fazer compras sozinhos.

Os ministros da Saúde do país se reunirão no sábado para discutir a aceleração da distribuição de doses de reforço da vacina.