Pedestre passa em frente a casa de câmbio em São Paulo

Dólar tem movimentação tímida ante real em sessão esvaziada; mercado foca Ômicron e Ptax

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar era negociado entre estabilidade e leve alta contra o real na manhã desta quarta-feira, penúltimo pregão de 2021, com agentes do mercado chamando a atenção para a baixa liquidez em meio a noticiário sem grandes catalisadores.

No exterior, o foco de investidores continuava sobre a disseminação da variante Ômicron do coronavírus e suas possíveis consequências econômicas, enquanto, no Brasil, a briga pela formação da Ptax de fim de ano pode inverter o sinal da moeda norte-americana durante a sessão.

Às 10:01 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,09%, a 5,6441 reais na venda.

Na B3, às 10:01 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,28%, a 5,6440 reais.

Essa movimentação acompanhava o desempenho de alguns pares arriscados do real, como peso mexicano, peso chileno e dólar australiano, que oscilavam entre estabilidade e leve alta nesta quarta-feira.

O índice do dólar contra uma cesta de pares fortes subia 0,1%, enquanto o índice acionário de referência da Europa rondava a estabilidade e os futuros de Wall Street [.NPT] subiam.

“Continua o cenário natural de fim de ano de volume muito baixo, fechamentos de datas múltiplos e agenda econômica relativamente restrita”, disse em relatório Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset.

Ele disse que, embora os investidores continuem acompanhando com cautela as notícias sobre a disseminação da variante Ômicron do coronavírus, há sinais encorajadores de que a cepa pode não ser tão letal quanto o temido inicialmente, o que poderia levar a restrições econômicas menos rígidas de combate à doença.

Pesquisas feitas por cientistas sul-africanos sugeriram que a infecção pela Ômicron aumenta a imunidade à variante Delta, enquanto, nos Estados Unidos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) encurtou o tempo de isolamento recomendado para norte-americanos com casos assintomáticos de Covid-19 para cinco dias, ante orientação anterior de dez dias.

“A Ômicron pode, sim, ser o sinal do ‘início do fim’ da pandemia, algo que pode ser muito positivo para a economia mundial a partir do próximo ano”, disse Vieira.

Enquanto isso, no Brasil, investidores alertavam para a aproximação da formação da Ptax de fim de ano, que acontecerá na quinta-feira, o que poderia levar a oscilações no sinal do dólar no mercado de câmbio local, segundo nota de Guilherme Esquelbek, da Correparti Corretora.

A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central que serve de referência para liquidação de derivativos. No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la para níveis mais convenientes a suas posições.

Na terça-feira, o dólar à vista teve variação negativa de 0,01%, a 5,6390 reais na venda.