Empresa turca Bitci vai abrir plataforma de negociação de criptoativos no Brasil, diz presidente

Por Ezgi Erkoyun

ISTAMBUL (Reuters) – A companhia turca de tecnologia blockchain Bitci pretende abrir uma plataforma de negociação de criptomoedas no Brasil em fevereiro, disse o presidente-executivo, Onur Altan Tan, em entrevista.

Fundada em 2018 na cidade turística de Bodrum, no sudoeste da Turquia, a Bitci opera uma plataforma de negociação de criptomoedas, uma instalação de mineração e uma rede blockchain vinculada à sua plataforma de negociação e pagamento.

A empresa também oferece tokens para torcedores, um tipo de criptomoeda adotada por alguns clubes de futebol, que tiveram suas receitas impactadas pela pandemia. A Bitci espera que uma plataforma de negociação no Brasil aproveite as ligações da empresa com os clubes de futebol do país, disse Tan à Reuters.

“Estamos abrindo ‘uma exchange’ de criptomoedas no Brasil porque temos ativos valiosos lá. Nós lançamos tokens da seleção brasileira e temos acordos com outros seis clubes”, disse ele.

A Bitci lançou 25 tokes para torcedores de futebol, incluindo da seleção espanhola, do Wolves, clube que joga a Premier League, e do Rangers, da Escócia, além de alguns para automobilismo. O objetivo é ter mais de 50 tokens até o final do ano.

Os clubes de futebol enxergam esses criptoativos como formas de gerar novas receitas e manter os torcedores engajados. Os proprietários dos tokens podem votar em decisões menores do clube, como as músicas que tocam após os gols.

Os tokens também podem ser negociados, como outras criptomoedas, e propensos a oscilações bruscas de preço.

Os direitos exclusivos da Bitci sobre os tokens devem ser uma oportunidade para crescer no Brasil, acrescentou Tan. “Nosso objetivo é alcançar o líder de mercado local em muito pouco tempo com a ajuda de tokens… Lançamos o Brasil em fevereiro e depois a Espanha em março.”

A companhia brasileira Mercado Bitcoin é uma das maiores plataformas de negociação de criptomoedas da América Latina, com mais de 3 milhões de usuários.

O mercado de criptomoedas Brasil se expandiu rapidamente no ano passado, com maior interesse nos ativos à medida que as pessoas tentavam manter o valor de suas economias em meio às consequências econômicas da pandemia. Em janeiro, a B3, que opera a bolsa de valores local, disse que pretende expandir seus produtos e serviços para criptoativos.

No ano passado, as autoridades turcas proibiram o uso de criptoativos para pagamentos, enquanto algumas plataformas locais foram investigadas por fraude.

Houve um boom no uso de moedas digitais na Turquia, alimentado pelo aumento da inflação e pela queda da lira.

Tan disse que depois do Brasil e da Espanha, a Bitci planeja abrir plataformas de criptomoedas em alguns países da Ásia Central, Índia e Rússia este ano.