Porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki

EUA e Reino Unido punirão amigos de Putin se Rússia invadir a Ucrânia

Por Steve Holland e Guy Faulconbridge e Dmitry Antonov

WASHINGTON/LONDRES/MOSCOU (Reuters) – Os Estados Unidos e o Reino Unido estão preparados para punir as elites russas próximas ao presidente Vladimir Putin com congelamento de ativos e proibições de viagens se a Rússia entrar na Ucrânia, disseram Washington e Londres nesta segunda-feira.

O Reino Unido fez um apelo a Putin para “recuar” depois que o acúmulo de tropas russas perto da Ucrânia alimentou temores de guerra, e alertou que qualquer incursão desencadearia sanções contra empresas e pessoas próximas ao Kremlin.

“Os indivíduos que identificamos estão dentro ou perto dos círculos internos do Kremlin e desempenham um papel na tomada de decisões do governo ou são no mínimo cúmplices do comportamento desestabilizador do Kremlin”, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, a repórteres.

A secretária de Relações Exteriores britânica, Liz Truss, disse que a legislação planejada dará a Londres novos poderes para atingir empresas ligadas ao Estado russo.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, chamou o alerta britânico de “muito perturbador”, dizendo que torna o Reino Unido menos atraente para os investidores e prejudicaria as empresas britânicas.

“Um ataque de um determinado país às empresas russas implica medidas de retaliação, e essas medidas serão formuladas com base em nossos interesses, se necessário”, disse Peskov.

Desde a queda da União Soviética em 1991, Londres tornou-se o paraíso de escolha para um rio de dinheiro da Rússia e de outras ex-repúblicas soviéticas. Defensores da transparência há muito pedem que o Reino Unido seja mais duro com os fluxos financeiros ilícitos.