Sede do FMI, em Washington

EUA estão tomando “todas as medidas” para impedir que Rússia se beneficie de ativos do FMI–autoridade do Tesouro

Por Andrea Shalal e David Lawder

WASHINGTON (Reuters) – Os Estados Unidos estão fazendo todo o possível para impedir que a Rússia se beneficie de seus ativos de reserva do Fundo Monetário Internacional (FMI), disse uma autoridade do Tesouro norte-americano nesta sexta-feira, dizendo que Moscou enfrenta obstáculos grandes, se não intransponíveis, para fazê-lo.

A Rússia recebeu 17 bilhões de dólares em ativos do FMI conhecidos como Direitos Especiais de Saque (SDRs) em uma nova alocação do Fundo no ano passado, mas para gastar essa quantia teria de encontrar um país disposto a trocar os SDRs por moedas subjacentes na forma de um empréstimo com juros.

Os Estados Unidos e seus parceiros, que representam a grande maioria das contrapartes disponíveis no sistema de transações de SDR do FMI, não realizarão nenhuma dessas trocas, disse a autoridade.

“Os Estados Unidos estão comprometidos em tomar todas as medidas para impedir que a Rússia se beneficie de suas posses de SDRs do FMI”, disse o funcionário do Tesouro, falando sob condição de anonimato.

“Como resultado das sanções dos Estados Unidos e de nossos parceiros, o regime russo enfrentaria obstáculos significativos, até mesmo intransponíveis, para usar seus SDRs.”

Mesmo que o banco central da Rússia adquirisse moedas importantes, como dólares, euros, ienes ou libras, por meio de uma transação de SDR, esses ativos seriam “efetivamente imobilizados” devido a sanções impostas pelos Estados Unidos e parceiros importantes após a invasão russa de 24 de fevereiro sobre território ucraniano, acrescentou o funcionário.

Parlamentares republicanos nos EUA disseram nesta semana à secretária do Tesouro, Janet Yellen, que ela precisa impedir a Rússia de trocar os SDRs, alertando que a alocação havia prejudicado as sanções anteriores à Rússia antes mesmo de invadir a Ucrânia.

Todos os membros do FMI receberam SDRs –ativos lastreados em dólares, euros, ienes, libras esterlinas e iuanes– proporcionalmente à sua participação no Fundo na distribuição destinada a ajudar os países mais pobres a combater a pandemia de Covid-19.

Os congressistas dos EUA também disseram que Yellen e aliados dos EUA deveriam planejar contingências para bloquear um resgate se uma Rússia economicamente enfraquecida for forçada a recorrer ao FMI para empréstimos futuros.