IHS prevê recorde para soja 21/22 do Brasil; corta milho verão por seca no RS

(Texto atualizado para acrescentar referência sobre milho de primeira safra)

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) – A produção de soja 2021/22 do Brasil deve alcançar o recorde de 145 milhões de toneladas, estimou nesta quinta-feira a consultoria IHS Markit, com projeção estável ante levantamento anterior, mas a expectativa para o milho verão sofreu um corte em meio ao clima seco no Rio Grande do Sul.

A produção nacional do cereal de primeira safra foi estimada em 28,3 milhões de toneladas, um recuo de 1,2 milhão contra a última análise da IHS, mostraram os dados.

“Lavouras enfrentando estiagem, muitos dias sem chuva, já há redução do potencial produtivo. Milho pendoando em porte baixo, um pequeno percentual de área de milho sendo convertido para outras culturas”, disse à Reuters o analista Gabriel Faleiros.

Segundo ele, são esperados mais cortes de produtividade para o cereal, conforme as lavouras adentram o estágio reprodutivo em condições limitantes de água. “Alguns agentes de mercado estão ainda mais pessimistas”, comentou.

No caso da soja, ele ressaltou que o plantio ainda está no final no Rio Grande do Sul e as lavouras gaúchas são mais novas, por isso a consultoria segue monitorando o cenário.

“Potenciais reduções na produção de soja no Sul podem ser contrabalanceadas com aumentos no centro-norte do país”, afirmou o especialista.

Mais cedo nesta quinta-feira a consultoria StoneX afirmou à Reuters que reduziu as expectativas para a produção de milho no Rio Grande do Sul –maior produtor do cereal de verão no Brasil– e já vê diminuição de 5% no potencial produtivo da soja no Estado devido à falta de chuvas.

(Por Nayara Figueiredo)