Ataque a prédio em Zaporizhzhia

Míssil russo atinge prédio de apartamentos em região ucraniana recém-anexada

Por Pavel Polityuk

KIEV (Reuters) – Um míssil russo demoliu um bloco de apartamentos em uma região ucraniana que Moscou diz ter anexado, matando pelo menos três pessoas, enquanto militares ucranianos avançavam em sua tentativa de recapturar terras no sul e no leste.

O ataque com mísseis à cidade de Zaporizhzhia, na região sul de mesmo nome, deixou algumas pessoas enterradas sob os escombros, disse o governador regional na quinta-feira, e foi um lembrete da capacidade de Moscou de atingir alvos mesmo em um momento em que suas forças parecem estar em dificuldade no campo de batalha.

Não houve comentários imediatos sobre o ataque pela Rússia, cuja invasão da Ucrânia começou a ser revertida após uma contraofensiva ucraniana na qual milhares de quilômetros quadrados de território foram retomados desde o início de setembro, incluindo dezenas de assentamentos nos últimos dias.

Em um golpe para Moscou, milhares de soldados russos recuaram depois que a linha de frente desmoronou, primeiro no nordeste e, desde o início desta semana, também no sul.

Críticas públicas ao alto escalão militar da Rússia, antes um tabu, estão aumentando depois que dois aliados do presidente Vladimir Putin criticaram o que disseram ser a maneira incompetente como a guerra estava sendo conduzida.

Imagens após o ataque com mísseis de quinta-feira, que ocorreu nas primeiras horas da manhã, mostraram um buraco aberto e cheio de escombros onde um bloco de apartamentos de cinco andares ficava ao lado de uma loja de vinhos.

Repórteres da Reuters viram bombeiros trazendo pai e filho por uma longa escada e conversando com um homem mais velho ainda preso sob os escombros e coberto de poeira.

Eduard, um homem de 49 anos que sobreviveu ao ataque, disse: “Estava escuro, por volta das cinco da manhã. Fui acordado por uma forte explosão. A sala se encheu de fumaça e poeira. Pulei para ver o que aconteceu.”

Doze pessoas ficaram feridas, incluindo uma criança de três anos, e cinco ainda estavam sob os escombros, disse Oleksandr Starukh, o governador.

O ataque ocorreu apenas um dia depois que Putin assinou uma lei para incorporar quatro regiões ucranianas parcialmente ocupadas à Rússia, incluindo Zaporizhzhia, na maior tentativa de anexação da Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Kiev chamou a nova lei, que visa incorporar cerca de 18% do território da Ucrânia à Rússia, de ato de um “manicômio coletivo”.

A Rússia decidiu anexar as quatro regiões depois de realizar o que chamou de referendos – votações que foram condenadas por Kiev e governos ocidentais como ilegais e coercitivas.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse em um discurso na noite de quarta-feira que seu Exército retomou mais assentamentos na região de Kherson, no sul.

Mudando do ucraniano para o russo, Zelenskiy dirigiu-se às forças pró-Moscou, dizendo-lhes que já haviam perdido.

“Os ucranianos sabem pelo que estão lutando. E cada vez mais cidadãos da Rússia estão percebendo que vão morrer simplesmente porque uma pessoa não quer acabar com a guerra”, disse ele, em referência a Putin.