Arqueologistas peruanos revelam múmia que pode ter até 1.200 anos

Múmia peruana antiga é exposta em universidade de Lima

Por Carlos Valdez

LIMA (Reuters) – Uma múmia pré-inca encontrada no Peru e que se acredita ter entre 800 e 1.200 anos de idade foi exibida na terça-feira na Universidade San Marcos de Lima depois que arqueólogos relataram ter descoberto os restos mortais em uma tumba subterrânea em novembro.

Os restos mumificados, que estavam atados por cordas e cujas mãos cobriam o rosto, foram localizados dentro de uma estrutura subterrânea nos arredores da capital peruana, juntamente com oferendas como cerâmicas, restos vegetais e ferramentas de pedra.

Agora a universidade está abrigando a múmia, assim como os restos de ao menos duas crianças e os objetos encontrados na tumba antiga, enquanto seus pesquisadores os analisam.

“Hoje, na Universidade Nacional de San Marcos, em Lima, apresentamos descobertas arqueológicas de pesquisas feitas em Cajamarquilla em 2021”, disse Pieter Van Dalen Luna, o arqueólogo encarregado do projeto.

“O mais importante é a múmia, uma notícia que percorre o mundo, que está sendo analisada no momento.”

O Peru, que abriga a emblemática Machu Picchu, tem centenas de sítios arqueológicos de culturas que se desenvolveram antes e depois do Império Inca, que dominou a parte sul da América do Sul 500 anos atrás.

Yomira Huaman, outra arqueóloga que liderou a descoberta, disse que a equipe descobriu um local que consiste de buracos de cerca de dois metros de profundidade.

(Por Carlos Valdez e Gerardo Gomez)