Parlamentar britânico renuncia após admitir que assistiu pornografia por duas vezes na Câmara

LONDRES (Reuters) – Um parlamentar britânico que havia sido suspenso do Partido Conservador, do atual primeiro-ministro Boris Johnson, anunciou neste sábado sua renúncia após admitir que por duas vezes assistiu pornografia em seu telefone celular na Câmara dos Comuns “em um momento de loucura”.

Os conservadores suspenderam Neil Parish na sexta-feira após ele se reportar ao comissário de regras do Parlamento.

Parish renunciou no sábado, apesar de ter dito anteriormente que continuaria como membro do Parlamento enquanto a investigação estivesse em andamento.

“No final, eu pude ver o furor e o prejuízo que estava causando à minha família e à minha associação eleitoral, não valia mais a pena continuar”, disse Parish em lágrimas em entrevista à BBC no sábado.

Parish, que é fazendeiro, disse que a primeira vez que viu material explícito ele o encontrou por acidente, ao procurar tratores em um website de nome semelhante, e que então assistiu “por um tempinho, o que não deveria ter feito”.

“Mas meu crime, meu maior crime, é que, em outra ocasião, eu entrei por uma segunda vez, e isso foi de propósito. Eu estava sentado, esperando para votar, ao lado da Câmara.”

Perguntado sobre o que passava por sua cabeça, ele descreveu como “um momento de loucura”.

No início da semana, a imprensa britânica relatou que uma ministra disse ter visto um colega homem olhando material pornográfico enquanto estava sentado ao seu lado na Câmara dos Comuns, e que o mesmo parlamentar depois assistiu pornografia durante uma audiência de comitê.

“Eu não tenho orgulho do que estava fazendo”, disse Parish, acrescentando que não tinha intenção de que aqueles a seu lado o vissem. “Eu não vou defender o que fiz. O que eu fiz foi absolutamente, totalmente errado… acho que eu saí completamente dos meus sentidos.”

(Reportagem de Kylie MacLellan)