Soja recua em Chicago com expectativa de plantio recorde nos EUA, milho avança

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros de soja negociados em Chicago caíram nesta quinta-feira para o menor patamar em um mês, depois que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) projetou que os agricultores do país devem plantar nesta temporada a maior área já registrada para a oleaginosa.

O USDA estimou o plantio de soja nos EUA em 2022 em recorde de 90,955 milhões de acres, um aumento de 4% em relação a 2021 e acima da maioria das expectativas dos analistas, enquanto o plantio de milho caiu 4% para 89,490 milhões de acres, no mesmo comparativo.

Analistas disseram que os altos custos dos fertilizantes provavelmente desencorajaram as semeaduras de milho nos EUA, que exigem mais adubação do que a soja.

As estimativas de plantio de trigo de primavera (no hemisfério Norte) caíram cerca de 2% no comparativo anual, para 11,2 milhões de acres, mostraram os dados do USDA.

Na bolsa de Chicago, a soja para maio fechou em queda de 45,75 centavos de dólar a 16,1825 dólares por bushel, após cair para 16,1350 dólares, a mínima do contrato desde 28 de fevereiro.

O milho para maio fechou em alta de 10,75 centavos de dólar a 7,4875 dólares por bushel, reduzindo ganhos após subir para 7,70 dólares, a máxima em uma semana.

O trigo soft vermelho de inverno para maio fechou com recuo de 21,25 centavos de dólar a 10,06 dólares por bushel.

(Reportagem de Julie Ingwersen)