Plantação de trigo

Trigo amplia queda em Chicago com preocupações sobre a variante ômicron

Por P.J. Huffstutter

CHICAGO (Reuters) – Os preços do trigo de Chicago caíram para uma mínima de quase três semanas nesta terça-feira, a medida que as preocupações de que a disseminação da variante do coronavírus ômicron poderia desacelerar a economia global levaram os investidores a reduzir a exposição ao risco.

Todo o complexo de grãos sentiu a pressão no início da sessão, depois que a Moderna advertiu que as vacinas de Covid-19 provavelmente não seriam tão eficazes contra a variante do ômicron. [MKTS/GLOB] [O/R]

O milho seguiu o trigo em queda, enquanto a soja caiu pela quinta sessão consecutiva, com uma queda acentuada no mercado de petróleo e o bom clima para o desenvolvimento da safra na América do Sul adicionando pressão sobre os preços.

“O fundamental opressor no mercado agora é o medo da ômicron e do que ela poderia fazer com a demanda”, disse Jack Scoville, analista de mercado do The Price Futures Group, que observou que grande parte da liquidação foi causada por fundos em busca de cobertura.

Na bolsa de Chicago, o contrato mais ativo do trigo fechou em queda de 35 centavos de dólar a 7,8750 dólares o bushel. Mais cedo na sessão, o contrato caiu para 7,8250 dólares, a mínima desde 10 de novembro.

A soja fechou em queda de 24,25 centavos de dólar para 12,1725 dólares o bushel, enquanto o milho fechou em queda de 14,75 centavos de dólar, para 5,6750 dólares o bushel.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)