Vodafone se une à Intel para desenvolver sua própria arquitetura de chips de rede

Por Paul Sandle

MALAGA, Espanha (Reuters) – A Vodafone juntou-se à Intel e outros fornecedoras de microprocessadores para projetar sua própria arquitetura de chips voltada à nascente tecnologia de rede OpenRAN, com o objetivo de enfraquecer o domínio dos fornecedores tradicionais de equipamentos de telecomunicações.

O OpenRAN permite que as operadoras misturem e combinem fornecedores em suas infraestruturas, representando um desafio para empresas como Ericsson, Huawei e Nokia, que dominam o mercado global de equipamentos de telecomunicações com suas tecnologias proprietárias.

O desenvolvimento do OpenRAN ganhou maior destaque desde que alguns governos proibiram ou desencorajaram o uso da Huawei em redes nacionais.

A iniciativa da Vodafone também contribuirá para os esforços da União Europeia para reforçar sua indústria de chips e dobrar sua participação na produção global para 20% depois de perder terreno para fornecedores asiáticos e norte-americanos.

O diretor de arquitetura de rede da Vodafone, Santiago Tenorio, disse à Reuters que o OpenRAN permitirá que a operadora de telefonia móvel adicione rapidamente novos serviços digitais e otimize as redes usando inteligência artificial.

A Vodafone ativou o primeiro local 5G OpenRAN da Grã-Bretanha no início deste mês, iniciando uma implantação que totalizará 2.500 sites até 2027.

Cerca de 20 outros fornecedores se juntaram ao projeto, incluindo Qualcomm, Broadcom, ARM e Lime Microsystems, com metade do total vindo da Europa, disse a empresa.