BOLSA EUA-Nasdaq e S&P 500 renovam máximas recordes em meio a cautela sobre Fed

Por Devik Jain

Os setores de saúde, consumo básico e serviços públicos –geralmente considerados apostas seguras– estavam entre os maiores declínios.

O subíndice financeiro avançava 0,9%, enquanto as ações de Alphabet, Facebook, Tesla e Nvidia –de crescimento– subiam entre 0,2% e 2,8%, proporcionando os maiores impulsos para o Nasdaq.

O índice S&P 500, referência para o mercado acionário norte-americano, registrou seu 50º pico recorde de fechamento deste ano na terça-feira, com notícias positivas sobre uma vacina contra a Covid-19 aumentando esperanças de rápida recuperação econômica, depois que receios sobre um salto nas infecções pela variante Delta do coronavírus causaram volatilidade nos mercados neste mês.

O foco agora estará no simpósio econômico do Fed em Jackson Hole, que começa na quinta-feira. Investidores estarão de olho em pistas sobre quando o banco central começará a reduzir seu programa de compras de ativos. O chair do Fed, Jerome Powell, discursará no evento na sexta-feira.

Às 12:15 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,2%, a 35.439 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,122597%, a 4.492 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 0,08%, a 15.032 pontos.

BOLSA EUA-Forte Resultado da Disney Impulsiona S&P 500 e Dow a Novas Máximas

Por Devik Jain

Seis dos 11 principais setores do S&P 500 avançavam, com o subíndice de serviços de comunicações — que lista Netflix, Disney, Facebook e Alphabet — subindo 0,5%.

A Disney saltava 3,1%, depois de superar as expectativas de Wall Street para seus resultados trimestrais, já que seus serviços de streaming conquistaram mais clientes do que o esperado e seus parques temáticos, atingidos pela pandemia, voltaram à lucratividade.

Uma temporada estelar de balanços, melhora dos dados econômicos e a aprovação de um grande projeto de infraestrutura pelo Senado norte-americano reforçavam a crença dos investidores na recuperação econômica, levando as ações dos EUA a picos históricos nas últimas sessões.

As preocupações sobre a inflação mais alta e possível redução de estímulos pelo Federal Reserve mais cedo do que o esperado também perdiam força. Dados desta semana mostraram que a alta dos preços ao consumidor dos EUA desacelerou em julho.

“O que sabemos sobre a inflação neste momento é que ela permanece relativamente alta, mas não parece estar piorando muito no momento”, disse Randy Frederick, diretor-executivo de operações e derivativos da Charles Schwab.

“A inflação alta nem sempre é uma coisa ruim, se for acompanhada por um forte crescimento econômico, e agora é apenas um indicativo de que a economia está indo muito bem.”

Às 12:15 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,12%, a 35.542 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,075771%, a 4.464 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 0,05%, a 14.824 pontos.