Gás natural continua subindo.

O gás natural começou a fazer movimentos de alta em abril e permaneceu trabalhando dentro de um canal de alta por quase cinco meses. Quando o preço se aproximou do topo histórico houve aumento da volatilidade e após romper a linha superior do canal e fazer pullback nesta linha, o ativo disparou, rompendo o topo histórico, levando o preço mais de 10% acima deste. Em todo o movimento de alta o ativo chegou a subir quase 130%.

No mesmo dia em que o ativo fez o novo topo, o preço recuou, deixando uma grande sombra superior no gráfico diário. No dia seguinte o mercado foi novamente testar o topo, mas acabou cedendo, dando assim início a um movimento de correção.

O preço vinha caindo, mas assim que tocou em um suporte importante, cessou o movimento de baixa, e hoje segue subindo. Conforme pode ser observado no gráfico, a região de suporte foi marcada pela linha pontilhada, que representa o topo histórico anterior, e também a retração de 38,2% do último movimento de alta.

Apesar de o ativo estar subindo hoje, não parece ser provável que este faça um novo movimento de alta forte capaz de romper o topo e dar sequência a alta. O gráfico de uma hora mostra justamente o contrário, que uma correção maior deve ser esperada.

Conforme o gráfico abaixo mostra, após perder a média móvel de 200 períodos o ativo foi testar esta média, mas o preço voltou sem conseguir superar a mesma, de modo que se a linha pontilhada for perdida, é esperado que o ativo caminhe em direção as outras retrações, ou ainda consolide e fique trabalhando dentro de um retângulo por alguns dias.