Ações de tecnologia foram destaque em 2021 e seguem recomendadas

O termo FAANG é usado entre os investidores de ações para descrever o grupo das maiores empresas do setor de tecnologia: Facebook (agora Meta), Amazon, Apple, Netflix e Google.

Embora estejam de fora da sigla, talvez seja apropriado incorporar mais dois nomes neste conjunto: a Tesla e a Microsoft

Há alguns analistas que optam por chamar essas ações de “ações de uma única decisão”, ou seja, são ações que você deve comprar e nunca mais vendê-las.

Isso porque estas são talvez as companhias com maior potencial de inovação e adaptabilidade do mundo. 

A tecnologia é um dos principais fatores responsáveis pelo crescimento das empresas e das sociedades. 

É a partir das inovações tecnológicas que a humanidade se desenvolveu, criou novos produtos, novos empregos, diferentes formas de se relacionar e elevou seu nível de bem-estar.

E se há algum lugar que as próximas inovações deverão se desenvolver, é muito provável que as ações FAANGs contribuirão de alguma forma.

Entretanto, como é de praxe lembrar, todo potencial ganho é acompanhado de um grau de risco de mesmo tamanho. E isso não é diferente com as ações que citamos aqui.

Elas estão precificando um crescimento de lucro abismal para os próximos anos. Caso este crescimento não ocorra, é bem provável que suas cotações caiam fortemente.

Porém, se o crescimento for igual ou acima do esperado, é também igualmente esperado que os preços continuem subindo ininterruptamente.

Desempenho em 2021

Todas as ações citadas aqui possuem suas versões em BDRs (Brazilian Depositary Receipts), que permitem aos investidores brasileiros investirem sem precisar enviar dinheiro para o exterior.

Estas podem ser acessadas a partir dos seguintes tickers:

  • Alphabet (dona da Google): GOGL34
  • Amazon: AMZO34
  • Apple: AAPL34
  • Facebook (atualmente chamada de Meta): FBOK34
  • Microsoft: MSFT34
  • Netflix: NFLX34
  • Tesla Motors: TSLA34

Ao contrário das ações brasileiras, as BDRs das gigantes da tecnologia se valorizaram fortemente neste ano de 2021. 

Uma pequena parte se deve ao dólar, que subiu cerca de 9% neste ano. Porém, a maior parcela dos ganhos se deve às perspectivas positivas para o futuro.

Em ordem de desempenho das BDRs do grupo de gigantes da tecnologia que mais subiram no ano, temos: Google (+81%), Microsoft (+67,7%), Tesla (+62%), Apple (+ 48,2%), Facebook (+37,6%), Netflix (+25%), Amazon (+13,6%).

Recomendações

Quem investiu nas ações de tecnologia em 2021 teve bons ganhos, ultrapassando o Ibovespa no ano. 

Apesar da Alphabet ter sido a maior alta do ano, se engana quem achar que a ação chegou ao topo e não tem muito ainda a entregar.

Para a UBS, a dona da Google ainda tem um bom caminho de subida pela frente e deve continuar apresentando um desempenho superior frente ao mercado.

De acordo com o relatório do banco, o preço-alvo das ações da Alphabet negociadas nos EUA é de US$ 3.925,00, o que nos dá um potencial de ganho de cerca de 32% em relação à cotação atual.

Outra companhia com boa recomendação é a Apple. As ações negociadas no mercado americano estão com recomendação de compra pelo banco Morgan Stanley, com preço alvo de US$ 200,00. 

Aqui o potencial de ganho é menor, de 17,6%, mas que pode aumentar a depender da mudança de expectativas na medida em que os projetos da companhia forem tendo sucesso.

BOLSA EUA-Forte Resultado da Disney Impulsiona S&P 500 e Dow a Novas Máximas

Por Devik Jain

Seis dos 11 principais setores do S&P 500 avançavam, com o subíndice de serviços de comunicações — que lista Netflix, Disney, Facebook e Alphabet — subindo 0,5%.

A Disney saltava 3,1%, depois de superar as expectativas de Wall Street para seus resultados trimestrais, já que seus serviços de streaming conquistaram mais clientes do que o esperado e seus parques temáticos, atingidos pela pandemia, voltaram à lucratividade.

Uma temporada estelar de balanços, melhora dos dados econômicos e a aprovação de um grande projeto de infraestrutura pelo Senado norte-americano reforçavam a crença dos investidores na recuperação econômica, levando as ações dos EUA a picos históricos nas últimas sessões.

As preocupações sobre a inflação mais alta e possível redução de estímulos pelo Federal Reserve mais cedo do que o esperado também perdiam força. Dados desta semana mostraram que a alta dos preços ao consumidor dos EUA desacelerou em julho.

“O que sabemos sobre a inflação neste momento é que ela permanece relativamente alta, mas não parece estar piorando muito no momento”, disse Randy Frederick, diretor-executivo de operações e derivativos da Charles Schwab.

“A inflação alta nem sempre é uma coisa ruim, se for acompanhada por um forte crescimento econômico, e agora é apenas um indicativo de que a economia está indo muito bem.”

Às 12:15 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,12%, a 35.542 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,075771%, a 4.464 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançava 0,05%, a 14.824 pontos.